• Magda Cruz

Uma flor gigante para Saramago

Atualizado: 2 de dez. de 2021

Centenas de crianças lêem "A maior flor do mundo" pelo centenário do escritor


Mal tocaram as 10 horas do dia 16 de novembro, dia em que Saramago faria 99 anos, uma centena de escolas de Portugal e Espanha lêem em uníssono o conto "A maior flor do mundo". No Colégio José Álvaro Vidal, em Lisboa, o dia foi preenchido com muito mais que a leitura.


Para ouvir aqui: https://soundcloud.com/magda-cruz-795242773/leituras-de-saramago?si=5733fd7ada7445c4bd6ce12f1da63d3b


Trata-se de uma iniciativa da fundação José Saramago, em parceria com a Rede de Bibliotecas Escolares e com o Plano Nacional de Leitura. À boleia da leitura do conto "A maior flor do mundo", o Colégio José Álvaro Vidal - Fundação Cebi, em Alverca do Ribatejo, em Vila Franca de Xira, preparou um dia de atividades para lembrar o único Nobel de Literatura que Portugal já teve.


O par de alunos a que a TSF mostrou um excerto do conto "A maior flor do mundo" não foi apanhado de surpresa. Os alunos já conheciam o livro onde um rapaz encontra uma flor murcha e decide dar-lhe de novo vida e vigor. A professora Ana Correia oferece uma explicação: os estudantes leram o livro no 4º ano do Ensino Básico e trabalharam-no em sala de aula.


O facto de centenas de alunos lerem ao mesmo tempo este conto fascina os alunos. Júlia, de dez anos, acha a iniciativa "muito interessante" porque espalha a cultura portuguesa e dá a conhecer Saramago que "foi um escritor muito importante", diz. Também Miguel, de onze anos, se mostrou entusiasmado com a presença de Saramago no dia a dia da escola: "Um projeto entre escolas é sempre muito bom".


A professora Ana Correia explica que apesar de ser uma aluna de 5º ano a ler o conto para os colegas, todos os alunos da escola, do 5º ao 12º ano participam. "Os alunos de 5º ano construíram, com a ajuda do professor de Educação Visual e Tecnológica, uma flor gigante; os alunos de 6º ano fizeram caligramas a partir da obra do conto e todas as outras turmas têm uma participação com um podcast na rádio da escola, com quizzes [questionários] sobre a biografia e a bibliografia do autor".


Mas este não é o primeiro contacto que a Júlia e o Miguel têm com Saramago. Contam à TSF que já conheciam o autor por o verem lá por casa. Os pais têm nas prateleiras vários livros de Saramago e lembram-se até de ver filmes baseados na obra "O ensaio sobre a cegueira".


28 visualizações0 comentário